Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

vinho tinto

vinho tinto

02
Jan05

Primeira Folha

 

O sol já não era de Verão. Nem o mar. As marés vivas rugiam violentamente contra as rochas, contra o verde muito escuro da falésia. O coração do mundo ardia na linha do horizonte e os seus gritos de adeus chicoteavam e rasgavam o céu pesado, incendiavam a superfície do mar até ao branco que explodia aos pés de uma varanda toscamente esculpida na pedra.

De pé, sobre o muro da varanda, Cristina, permaneceu imóvel até que o sol desaparecesse por completo. Até que a noite se estendesse por toda a paisagem. Sem estrelas, sem lua. Noite, sombra, trevas apenas. Escuridão e o ruído persistente dos dedos do mar a escavar a rocha alguns metros abaixo de Cristina.

A espaços, a luz de um farol passava por ali e iluminava a varanda. Nesse longo milésimo de segundo, o vestido branco que ondulava ao sabor da lentidão nocturna, surgia espectral, como se o espírito da falésia por ali estivesse em contemplação.

Segundos antes de um sino distante anunciar o fim do dia, soprou um vento mais forte. Soprou e abriu a cortina de nuvens que escondia a lua. Com a luz repentina, revelou-se também todo o esplendor de um corpo jovem. De um corpo perfeito. De um corpo que, mesmo imóvel, parecia cantar e encantar o tempo obrigando-o a parar. O cabelo, de um negro quase assustador, aproveitava o vento mais forte para voar como um falcão ao redor da próxima presa, mas mais lentamente. Muito mais lentamente.

Com a primeira badalada, Cristina abriu os braços, formando dois perfeitos ângulos de noventa graus e projectando, como sombra, uma imensa cruz sobre a parede da falésia. Provavelmente assustados com a treva que lhes invadia os ninhos, alguns pássaros abandonaram os buracos na pedra e desapareceram rapidamente, deixando para trás apenas os gritos e algumas crias, talvez famintas.

Com a última badalada, vindo sabe Deus de onde, o silêncio desceu e sufocou o mar, os pássaros e a noite. Sufocou a lua, sufocou toda a paisagem. Só não sufocou Cristina, que nesse preciso instante, abriu os olhos, olhou a lua totalmente muda, sorriu e disse-lhe baixinho:

- Serei eu a primeira folha deste Outono.

Sem hesitar, Cristina abandonou a sua árvore. Como para todas as folhas que morreram nesse Outono, e para que pudesse a queda ser da inominável beleza que se repete a cada Setembro, o tempo correu mais devagar. Devagar, para que nem um som se ouvisse com a entrada no mar da primeira e mais bela de todas as folhas.

1 comentário

Comentar post

lfdsa


Subscreva o
"Poema Semanal"

E receba gratuitamente uma cópia em PDF do meu livro «Muros e Amor»

* indica que o campo é obrigatório
Email *
Primeiro Nome
Último Nome

Sigam-me

lfdsa

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2003
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2002
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
lfdsa

Arquivo Temático


AVC-R
AVC Do Amor
Diário
Música
Prosa
lfdsa

Links

blogs

cinema

editoras

jornais & TV

poesia

revistas

outros

sugestões

  • Mandem as vossas sugestões para luisfdsabreu@gmail.com. Obrigado!
lfdsa